Como dirigir um carro automático

Quem está costumada ao carro com câmbio manual pode se sentir insegura na hora guiar um automático. O receio é normal, mas, acredite, não há o que temer: se você já faz bonito no trânsito, não vai ter dificuldade nenhuma para trocar de modelo.

Diferenças entre manual e automático

A principal diferença entre o carro manual e o automático é a ausência de embreagem. É como se as marchas mudassem sozinhas em função da velocidade, dispensando o acionamento de um pedal.

“O carro automático traz maior conforto porque você não precisa passar as marchas e nem usar a embreagem. Assim, não tem solavanco ou freada brusca, o carro não morre e você pode ficar com as duas mãos no volante o tempo todo, concentrada na direção”

Essa é uma vantagem enorme, principalmente para as pessoas que dirigem longas distâncias ou enfrentam congestionamentos. Cá pra nós, poucas coisas são mais cansativas do que passar duas horas no trânsito controlando o carro no pedal da embreagem.

Outra vantagem, mas que pode fazer com que você se atrapalhe um pouco no começo, é que o freio e o acelerador respondem muito rápido. “É só dar um toquinho que ele vai, não precisa pisar tão fundo. Com o tempo, você desenvolve essa sensibilidade”.

Como são as marchas do carro automático?

Apesar de você não precisar trocar toda hora, os carros automáticos têm marchas para desempenhar funções específicas. Elas mudam de carro para carro, mas, em geral, ficam alinhadas e se dividem em: Parking (utilizada quando veículo estiver totalmente parado), Neutro (ponto morto), Ré e Drive (utilizada para andar normalmente).

Alguns modelos têm marchas que oferecem melhor desempenho na subida, por exemplo. Por isso, é importante checar o manual do usuário antes de assumir o volante.

O que fazer com o pé esquerdo?

A teoria parece simples, mas aí vem a pergunta “o que eu faço com o pé esquerdo?”. Nada.  “Os carros vêm com um apoio para o pé esquerdo. Deixa ele lá paradinho, congelado e programe a mente para não usar”, esclarece.

O começo costuma ser difícil, muitas motoristas ficam pisando em um pedal imaginário, mas com o tempo você pega o jeito. E nem pense em usar esse pé para pisar no freio! Ele está treinado a ir fundo na embreagem e pode acabar causando um acidente.

Antes de tudo, é preciso controlar a ansiedade e prestar bastante atenção em tudo. “Treine em um local tranquilo, como se fosse autoescola de novo. A vantagem é que você já sabe fazer tudo, só está se adaptando a um novo modelo”, finaliza Érika.

 

Fonte: Entrevista realizada com a psicóloga Erika, de Dirigindo Bem para o editoral Petrobras de Carona com Elas. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: